então

abril 9, 2010

Chutei o wordpress e estou dando pro Tumblr agora.

Pra quem quiser ver meus desejos mais selvagens clique aqui.

Um bjs.

Anúncios

Assim que eu gosto

março 27, 2010

Tá, né, pensando seriamente em fazer um Tumblr, já que tenho pensamentos pequenos várias vezes ao dia e leva vários dias até que eu tenha pensamentos sufucientes pra fazer um post intero. Pena que eu tenho muita preguiça de fazer todo e qualquer tipo de mudança, porque né.

Enfim, eu nem vim aqui pra falar disso, eu vim aqui pra falar do show do ~Franz Ferdinad~

Ai, foi tiop assim ~LINDO~ *gemidos de pré-adolescente obesa psicopata*. Mas vou contar tudo desdo começo, hehe. Assim, deu 4:30 da matina e os pássaros ainda nem estavam cantando, chacoalhei a poeira e fui buscar minha best fucking friend forever pra chegar na fila, já que eu sou uma vadia psicótica que gosta de se torturar/e outros para conseguir pequenos prazer da vida, como ficar na grade. Mas tá, digamos que ficar debaixo do sol por 18 horas não foi a coisa mais confortável que eu já fiz, digamos também que ficar com insolação por causa disso também não foi muito confortável, e digamos outra vez que eu não tinha uma pinta na mão esqueda antes dessas 18 horas debaixo do sol. Mas eu só vou torcer pelo melhor, né.

Anyway, têm horas na fila, que as coisas começam a ficar um pouco monótonas e o que você precisa pra melhorar as energias, é uma boa briga na lama com a vadia que tentou ficar na sua frente discussão civilizada, é, rs. É o seguinte, quando nós chegamos, às 5:30, haviam só quatro pessoas na nossa frente. Até aí eu tava muito bem, obrigada. Deu 7h, um grupo de umas cinco pessoas chegou e furou a fila pra ficar com o moleque que tava na minha frente.

Aí nós pedimos pra quando desse o horário de entrar, eles fossem pro lugar deles, NO FUCKING FINAL DA FUCKING FILA. E eles concordaram, então voltei a ficar muito bem, thnks u guys. Mas sempre tem a vadia que quer o seu lugar. A menina devia ter uns 20 anos e usava maquiagem de biscate, fedia a perfume barato de biscate barata, e ah, fumava feito uma chaminé, bom até aí tanto faz, enjoy seu câncer de pulmão, chérie. Pena que ela começou a alegar que eu tinha chegado antes de mim. Terrible mistake, sweetie. Mermão, sei lá o que deu em mim, eu tirei a bunda do chão, botei a mão na cintura e a Elza Soares dentro de mim deu aloka.

Ai, foi tão bom ter um motivo decente pra odiar alguém. Parecia que eu não sentia isso há anos, sempre odiei as pessoas só de olhar pras caras delas, muito mais prático, porém menos emocionate. Sem maldads, meu sangue tava fervendo na hora, dava pra fritar um ovo na minha testa. FOI TÃO BÃO.

Aí eu o horário, saí correndo feito uma jamanta embriagada descendo uma ladeira e ***FIQUEI NA FRENTE DO ALEX***. Ai, foi tão lindo, senti o suor dele na minha cara, não conseguia respirar, minha vista tava escurecendo, PENA QUE EU TAVA NEM AÍ. Mas ai, tava dançando loucamente

Deixando a vida me levar, quando eu vi o Alex perguntando pra uma menina se ela tava bem…

Alex, why? Você já é tão lindinho, já é bem grandinho, pra quê pagar de bom moço? Por que você teve que dar aquela garrafa d’água praquela vadia, e não pra mim? Porque eu também estava me matando pra ver você, tá? Só deixei essa passar porque você sorriu pra mim :D

Ai, quase esqueci, quando acabou a bagaça, eu tava toda zumbi cheirosinha conversando com a minha amiga, aí eu cara passou e fez eu terrible comentário, ele disse que eu estava falando sozinha. FUCKING SOZINHA. Hahaha, mas é claro que eu não deixei barto, né? Chamei ele de viado e saí correndo. Bjs see ya.

Tem uma formica no meu tecrado

março 16, 2010

Então, né, vários dias que eu não posto, hah. hah. Rm. Assim, gente, existe uma coisa chamada colégio, e nesse “colégio”, a sua obrigação é passar de ano sem DP, porque se por algum motivo você ficar, seus pais não vão te mandar pra algum lugar bacaninha na Europa, tendeu? Que bom.

Mas srsly, essa bosta tem me custado meus finais de semana, vida social inexistente, que eu provavelmente teria, mas né, tô simplesmente too busy.

Mas pois é, né, tava voltando pra casa a pé neste calor senegalês, e tava passando por uma casa tranqüilamente quando o feto mal-formado de um cachorro começou a latir do nada, e bom, err, rs, eu berrei feito um urubu no meio da calçada. AFF. Pqp, sério, eu adoro cachorro, mas há alguns que pedem para serem enviados para a fábrica de cola, só pode. E tipo, aí eu olhei pra dona que tava com a perna peluda do outro lado da rua que tava LAVANDO A CALÇADA, alou Sabesp, mas tá, a carcomida estava rindo de minha pessoa. Vontade de pegar a porra dessa mangueira feita de borracha de chinelo Raider de estudante de ciências-socias e fazer uma chuca de graça pra señora.

Mas como a vida não é feita de sonhos e esperanças, eu sigo em frente com a cabeça erguida mostrando mais uma vez o meu desprezo quanto à mediocridade da sociedade.

Aí eu chego em casa e percebo que a páscoa tá chegando. Eu até pensei em não comer tanto chocolate nesta, MAS DEPOIS DEU TER DESCOBERTO NESTA SEMANA QUE A VIDA SÓ SE TRATA DE DOR E MISÉRIA (obrigada sistema público educacional brasileiro), DECIDI COMER A QUANTIDADE MÁXIMA LEGAL DE OVO DE PÁSCOA, ME K.O. COM O PURO E DOCE VENENO DA FELICIDADE, ME DOPAR DE CHOCOLATE ENQUANTO EU ESTIVER EM SALA. Talvez assim eu pare de ter a fina esperança de um ônibus me atropelar e quebrar a minha espinha quando eu atravesso a rua. mas né, não posso prometer nada.

hahaha ai, ai

março 5, 2010

Ai, gente, hahaha, ontem foi tipo assim tão legal, sabe, hahaha, FOI TÃO LEGAL.

Sooo, ontem já começou bad, bem bad, bad no nível em que eu precisei voltar correndo pra minha casa pra buscar um cartaz pra apresentar na última aula e não se atrasar pra primeira. Pois é, hahaha, como a vida tá engraçadinha esses dias pra mim, né? Porque eu acho que vocês não acreditariam em mim se eu contasse QUE EU AMEI TER O PÉ ESFOLADO ENQUANTO EU CORRIA DE VOLTA PRA ESCOLA, só de lebrar a pele no meu mindinho fazendo atrito com a lateral grossa do tênis já valeu meu dia, que delicinhaaa, ME SEGUREM, HEHEHE.

Mas enfim, daí eu fui toda pimposa pra casa ajustar again minhas calças na costureira, ok, beleza, moça, não me moleste e faça a medida certa desta vez, ok? MAS QUE? QUE? QUE? Opa, você não está pela terceira vez, amiguinha! Hahahahahahahhahadhsc PQP, EU SÓ TENHO DUAS CALÇAS PRA IR PRA ESCOLA, COMO VOU PROSSEGUIR?

Ok, respirei, contei até 10, até 20, até 100, PUTA QUEO PARIU, É SÓ AJUSTAR AS CALÇAS, NÃO É TÃO DIFÍCIL ASSIM, MINHA REBENTA. SABE POR QUE NÃO É TÃO DIFÍCIL? HM? SABE? PORQUE VOCÊ É COSTUREIRA, TÁ? É ISSO QUE AS COSTUREIRAS GERALMENTE FAZEM.

Anyway, voltei pra casa pra ir pra médica, blz, meu pai veio, me buscar, mas olha que engraçado, olha como a vida é, hahaha, ESQUECI OS EXAMES, HAHAHA. Opaaa! Vamos voltar pra casa, mais 243071 horas trânsito pra pegaros exames que eu já podia ter pego, hahaha, ai, ai. Enfim, cheguei e falaei que eu queria a Dr. Vanessa, moço. Mas Opa, pera aí, hahaha, É O PRÉDIO ERRADO, HAHAHA. AI. AI.

Enfim, achei o prédio certo e entrei na sala certa. ****I’M AWESOME**** ok, beleza, que bom, chegay na recepcionista

tira o olho sua fidida

E perguntei da minha hora marcada não mais tão marcada e ela

– é… tô vendo aqui e você está atrasada.

– rs. Eu sei, queridinha, eu sei muito bem.

Sabe, gente, eu adoro pessoas com senso de humor, elas realmente tornam meu dia melhor. Não importa o que aconteça, esse tipo de gente vai estar só de tocaia, sempre esperando que alguma coisa chata, sabe, aconteça pra te animar, aquecer seu coração, FAZER SEU SANGUE FERVER, e te lembrar que você ainda pode ser presa por agressão. Ha. Haha. Hahaha.

Tá, só sei que eu tive que esperar por uma hora, o que realmente não me deixou mais tensa, já que tinha uma grávida na minha frente e eu tive uma premonição: o filho ia nascer com lábio leporino. Cara, sei lá, não é uma coisa que eu inventei, sabe? Não é como se eu estivesse descontando a dor e a trsiteza pela minha vida falha ou nada do tipo, não é uma coisa que eu possa controlar. Moça grávida, ima really happy for you, and ima let you finish, but abortion and birth control are the best of all time. OF ALL TIME.

Enfim, vou ter que tomar vacina contra hepatite e a do tétano, mas eu nunca pensei que eu viveria tanto ao ponto de ter que tomar essas vacinas, sempre tive a impressão que as pessoas queriam bater em mim até um traumatismozinho craniano, haha, que coisa, né? Como a vida é, né? Sei lá, só tive a impressão, mas prefino não entrar em detalheis.

Hm.

fevereiro 24, 2010

Minha meninada linda, o que leva alguém a passar seus malditos valores culturais numa sala de aula? Pois bem, aparentemente, minha professora de matemática

essa aqui, ó

essa aqui, ó

Não sacou a parada maluca e decidiu fazer uma ~PARÁBOLA DA VIDA~

Hm, como explicar pra uma senhora de 60 anos de idade que não se deve brincar com a sanidade dos alunos relacionando a vida com matemática? Porque, you konow, não dá pra chegar na mulher e falar: “tia, faça mil favor e volta po asilo, néam”. Tipo, a parábola era assim, meus lindo:

Conforme você crescer e trabalha, mais dinheiro você ganha, conforme você fica velho e carcomido, mais você gasta em fralda geriátrica.

E cara, ela ficava enrolando falando que no tempo dela, aos 14 anos já tinha que trazer dinheiro pra casa.

MINHA FILHA, NO SEU TEMPO OS DINOSSAUROS AINDA ANDAVAM NA TERRA, O QUE QUE O CU TEM A VER COM AS CALÇAS? ME DIGA, MINHA SENHORA.

Aí na aula de química, a professora

essa aí

Começou a falar muita coisa, muita coisa mesmo, foi aí que eu reparei que ela é a cara do sem cara aê, mermão, MAS ELA É IDÊNTICA. Tá, eu sei que eu tenho o péssimo hábito de comparar pessoas com pokémons ou digimons, a verdade é que a culpa não é minha se pessoas SÃO idênticas a pokémons ou digimons. Sabe quando você acha o gêmeo perdido da pessoa? Então, não dá uma sensação de trabalho cumprido, tipo, você fica horas olhando pra cara do indivíduo tentando lembrar com quem ciclano parece, tá na cara, mas você não se lembra? Então.

Mas a verdade, galërinha do barulho, é que eu sou uma vaca. Aham, pois é, pois é, pois é. Eu sou aquela vadia que só vai pra escola pra fazer comparações das pessoas com pokémons pro próprio entretenimento. Aquela biscate que deseja o pior para o próximo. Aquela menina que deseja que seu filho nasça com lábio leporino.

Oh.

fevereiro 18, 2010

Então, aqui estou eu, sentada e comendo um sanduíche de banana com manteiga de amendoim. Vocês devem estar pensando como uma pessoa normal pode comer uma coisa tão nojenta quanto essa, e a minha resposta não é “ai, eu não sou normal”, a minha resposta é que eu estou odiando comer esta bosta.

Pois é, meninada, mas eu como mesmo assim, sabe por quê? Porque Jesus não olhou para mim e disse que a minha vida ia ser fácil, este crucificado nunca disse que eu ia achar trocados atrás do sofá ou achar uma nota de dez pilas no chão do metrô. Ele me fez viver para sofrer, mas não é como se eu odiasse a minha vida, sabe, os limões que a vida me dá, eu uso para fazer uma caipirinha.

Sabe, eu planejei este sanduíche de manteiga de amendoim e banana ontem à noite, no desespero de véspera de aula achando que ia ficar bom. Eu fiquei mentalizando como ia ficar gostoso a noite toda. Enquanto a vadia chata da professora de geografia falava que a juventude de hoje está gorda, ao invés de me perguntar por que ela está falando isso, já que ela é mais gorda que eu e querer que ela engolisse aquelas palavras pelo cu, eu fiquei imaginando aquele sanduíche dançando no meu paladar. Yeah.

Então eu vou até a pqp da costurei pegar as calças do meu pai. Uau. Isso realmente me faz pensar neste fucking sandubadú, eu fico pensando como seria bom tê-lo nas minhas mãos naquele instate, pois bem, FICO SÓ NO DESEJO, porque eu chego em casa, faço a birosca e aí, José? O treco é bão? Não. É realmente uma bosta. Aham. Mas uma criança africana reclama do pedaço de larva que ela ganha? Não, ela engole e finge que é uma lagosta, e vocês sabem por quê? Porque ela ficou imaginando uma lagosta o dia inteiro para a janta e o que tinha era larva, MAS MESMO ASSIM ELA COME UMA LAGOSTA, VOCÊS SABEM AONDE EU QUERO CHEGAR, NÉ? Se você, lindinho que disse que eu só estou comendo este pedaço de desgraça só pela manteiga de amendoim, não pela banana, porque essa vadia fodeu com o meu freaking sanduíche e que não dá pra se livrar dela, porque ela já contaminou a pirosca toda, mas pelo menos tem um ligeiro gostinho da amada e idolatrada manteiga, lindo, um bjs pra você.

Yo, biatches, I’m outta here. PEACE.

aham

fevereiro 12, 2010

AFF, EU NÃO TENHO ASSUNTO. Sabe, o que eu posto? Sério, cara, vocês querem ouvir o quão horrível é ficar seis horas sentada numa cadeira tão dura que faz o seu rabo doer? ACHO QUE NÃO. Vocês sabiam que a gente tem que tazer guarda-chuva de casa pra usar como cortina contra o reflexo do sol? NÃO, NÉ. Pois é, é esse o meu jeitinho de reclamar da vida aqui, só fiz essa parada pra reclamar, porque eu tenho medo de ficar reclamando ao vivo e a cores, sabe, tenho medo de virar o meu pai e talz, né, tenho medo de acordar de manhã sentido que eu tenho que fazer a barba, aí eu vou ter que trabalhar no circo com a mulher barbada. EU NÃO QUERO ISSO PARA A MINHA VIDA, SOCORRO. Mas enfim, eu tô aqui pra falar de mim, tô aqui pra meter pau nos outros.

Aí hoje, o terceiro ano resolveu fazer aquela brincadeirinha gostosa de troca de sexos, tipo, se eu te der a minha cueca, você me dá o cu, rs a sua calcinha e eu levo ela pra casa e guardo ela com as outras na minha gaveta secreta que eu abro quando quero me vestir de moça bonita. Daí beleza, eles tavam lá berrando, pulando, e blá, blá, blá, teve muita gente incomodada com isso, eu não faço parte delas, tanto que eu fico olhando a bunda dos meninos gostosos, já que tá seminu alguém tem que curtir, né.

Que delícia, pena que as coisas boas da vida nunca duram muito e com este sentimento e voltei para sala, sentei e a aula de inglês começou, tava bem suave, já que ao invés de ficar ouvindo qualquer coisa que a professora tava falando, eu fiquei imaginando como a vida dela era. Sei lá, ela tinha uma cara de cachorro paraguaio abandonado dizendo: “Hola, mi nombre és Ramon y estoy sin familia, gostaria de comprar mia rifa?”, nigga, sei lá, ela falava e eu sentia cada vez mais dó dela, tipo, querida, você está dando aula numa escola que está sem energia elétrica no momento e numa sala com guarda-chuvas fingindo serem cortinas, HELLOOOO, WAKE UUUP.

AMIGA, VÁ VIVER A VIDA

Então eu me coloquei a ~REFLETIR~, me coloquei no lugar de um professor. Como seria a minha vida? E cheguei à conclusão que eu provavelmente get up in the morning, slaving for bread, sir, so that every mouth can be fed, aí, 4:30 da manhã eu teria que sair correndo de casa, já que eu ganharia menos que eu salário mínimo e não teria dinheiro para morar perto da escola, então eu moraria num cortiço fedidin. Então ficaria meia hora em pé esperando o ônibus que me levaria à um outro ponto e neste outro ponto, eu teria que esperar mais uma hora pra o ônibus que me levaria finalmente à escola chegar. Nesta uma hora eu evitaria ao máximo pensar no quão a minha vida é miserável, tão miserável que morrer atacada por pombos aidéticos não seria tão ruim assim.

Então eu chegaria na classe de alunos delinquentes, sentaria na cadeira e perceberia que morrer engasgada com um avião de papel não seria tão ruim assim. Depois de um dia exaustivo, eu chegaria em casa, deitaria na cama, e notaria que quebraram de novo o vidro da janela e que cair da janela e quebrar a espinha não seria tão ruim assim.

MAS, BIA, ESSA HISTÓRIA DE CORTAR O CORAÇÃO NÃO TE FAZ TER MAIS RESPEITO PELO QUERIDO PROFESSOR?

Durf

fevereiro 8, 2010

Hoje foi o primeiro dia de aula.

Como eu posso expressar toda a alegria e contentação que este dia especial me trouxe? Como posso demonstrar toda a minha satisfação de estar tão perto, mas tão longe de me formar? Como mostrar para todos vocês que estou mais que grata por este sol que é o cobertor da minha alma?

Tá, tudo começou com a minha nova professora de redação na menopausa terminando toda frase com “AI, SOCORRO, QUE CALOR, PQP VCS”, “NÃO DÁ PRA FICAR SEM VENTILADOR, VSF VCS”, querida professora Cocotinha,  se eu te colocasse num caixa endereçada pra Sibéria, você ainda ficaria com calor, eu estava com uma freaking camisa de flanela e sequer derramei uma fucking gota de suor enquando eu estava em sala, favor calar a boca e terminar com essa maldita aula, pnc.

Daí veio aula de biologia. Vocês se lembram daquele tio sukita da propaganda e panz? Então. É o meu professor de biologia. Srsly, ele vai chegar num(a) aluna(o) como pulseira do sex, vai arrebentar e dar um sorrizinho ~rs~. Vai ensinar tudo de biologia, aham, estou sentindo as vibes de gravidez não planejada. Aliás, eu tô pouco me fodendo se ele engravidar a sala toda, só não sei se vou agüentar dois anos assistindo um indivíduo de 40 anos fazendo propaganda da Oakley, YO, NIGGA, PLIZ, NÉAM.

Aí teve matemática, mas eu realmente não faço questão de comentar. Então vamos pular para geografia com Izildinha.

– feçora, izildina ´´e dimiuntivo dq;//

– na~o ´´e dimntivop

Eu realmente gostaria saber descrever como é carregar um nome feio e ridículo ao longo de uma vida inteira, tá, eu sei que gosto é que nem cu, cada um tem o seu, e o seu fede, e blá, blá, eu só não sei em qual dimensão o nome “Izildinha” pôde ser dado para uma criança sem que a mãe não esteja sob efeito de escopolamina. Veja o exemplo de Elenita, doutora em linguística:

TÁ ME CHAMANDO DE GORDA//

FALA AÊ, ELENITA:

“Minha mãe se chama Elenice e meu pai Itamar. Não gosto de pensar que é diminutivo. É uma mistura mesmo”

E é com este pensamento positivo, salve as baleias, salve os wombats, que vou terminar a explicação de Izildinha, né, ela tava contando que o nome era de uma santinha que morreu cedo, né, morreu jovem, bem triste e

MLIA

fevereiro 5, 2010

Oiew, gente, comment ca va?

Bom, queria pedir desculpa por não ter assunto pra postar, porque eu não tenho uma vida. É. Pelo menos até segunda-feira, meu primeiro dia como veterana, que emocionante.

Tá, not. Sempre a chei muito escroto esse negócio de trote em ETE. Primeiramente, você, veterano come-tio, que faz questão de pegar um bixo pra pedir trocado no farol, você, veterano porra loka que se acha o Johnny Bravo pegano todas as bixete, você veterano marmanjo da rave que acha que ganhar 50 pilas em moedas de um centavo pra gastar em cerveja Skol é o ápice da sua juventude, bom, devo lhes dizer que ETE não é faculdade. ou seja, se você é veterano e já fez tudo isso listado aqui, você, meu querido, não vai entrar numa faculdade decente e vai morrer de hepatite, tá? Tão tá bão.

Também devo acrescentar que o trote da minha escola é mais escroto. Srsly, ano passado me falaram que o trote é legal, você conhece uma pá de gente legal e blá, blá, blá, BULLSHIT. Tipo, na hora eu acreditei, caí feito uma patinha, aí eu fui com a galëre pedia ca$h, rs, no farol, com 40°C, já tava passando meu Cenoura & Bronze, até que me mandaram pedir, ok.

– Oe, menina, vai lá, cata dinheiro.

– Olha, meua migo, não sei se tenho tanta coragem assim, só quero um bronze.

– VSF, VALÁ, MENINA.

E lá foi Beatriz com coragem no coração com cabeça de mamão.

– moso da 1 real

– sai pvt

– so orfeu

Daí eu pegay o que restada da minha dignidade, lavei-a na água sanitária do orgulho, amarrei as minhas trouxas, e fui correndo pegar um taxi, eu falei assim: MOSO, HALPA QUE EU TÔ FUGINO DO TROTE, MINHA CASA JHÁ.

Nossam, chegando em casa FUI CORRENDO CHORAR PRA MINHA MÃE, PQP, TAVA NEM AÍ.

R-E-S-P-E-C-T.

Então fui refletir no meu quarto, e fui lembrando de todos os anos escolares da minha curta vida, chegando na conclusão que todos foram um cu. Tipo a primeira série, eu chorava todos os dias, porque eu queria a minha mam, O QUE EU PODIA FAZER? Aff, aqueles pau na oreia ficavam me chamando de E.T. de quatro olhos, EU NEM USAVA ÓCULOS.

EU NÃO ERA ASSIM

Enfim, tive uma infância muito sofrida e angustiante, mas ainda tenho doces lembranças do passado, como o tio da perua no pré, ele era um cara de meia idade, hippie e tinha uma Kombi, O QUÃO LEGAL É ISSO? Vamo combina, né, gente. Ah, ele também deixava a gente comer salgadinho com cheirinho de pé NA KOMBI, O QUÃO LEGAL É ISSO? Vamo combina. Agora vejam a parte feliz da minha infância:

-tio, por que tem pó de giz aqui atrás do banco? -vai come salgadinho, garota.

Vejam como o mundo dá voltas, um dia estou reclamando da segunda série, e no outro estou reclamando da segunda série do médio. Aí num dia vou estar reclamando por ganhar 20 real por noite, e no outro vou estar reclamando por ganhar cinco centavos por lata de alumínio. Isso é glamour?

Bom, vou terminar com uma imagem linda, tipo SAUDADES DO PAI E DA MAI:

NIGGA, PLIZ.

ui, ui

janeiro 27, 2010

Ai, gente, achei tão viado esse título, me lembra o som que o passarinho do Twitter faria se tivesse a cabeça do Orgástico, rs, que imaginação fértil esta menina tem, vocês devem estar pensando, e eu lhes digo que é isso que ocorre quando você descobre que as suas férias então acabando e você não fez absolutamente nada para aproiveitá-las.

YA... WHATEVA

Tipo, eu adoraria vestir algo que não fosse pijama e sair de casa um pouco, não se enganem, eu até GOSTO de sair, só que tá quente lá fora e eu acredito que NINGUÉM NASCEU PARA SOFRER, NÉ. Aliás, eu odeio gente que gosta de calor, tipo, o indivíduo chega na roda de amicos falando que calor é muito melhor que frio, porque não faz frio e dá pra usar a piscina cheia de micose do prédio.

Geralmente, esse tipo de gente é daqueles que tira foto com cerveja e coloca no Orkut, tira foto no Guarujá com uma cerveja, coloca uma legenda tipo: “eu e a loira”, ou “eu pegano todas as loira”. E é esse tipo de gente que vai nas raves e tomam todos os tipos de estimulantes e ficam girando aqueles trecos de tecido neon se achando o maluco super descolado que agita a festa. Ah, eles também podem usar ISTO:

MANO, SRSLY. Muito conhecida com bota plataforma, esta bota com o real nome bucólico ~PATA DE BODE~ é um dos motivos que me fazem querer desistir da vida. Comparem:

oe meninada

DUDE, SRSLY. Não, não dá pra dormir à noite sabendo que indivíduos usam isso por vontade própria. Gente, sério, SÉRIO MESMO, mas MESMO, que alguém usou/usa/usará isso? Não, não dá pra engolir. Eu não sou uma pessoa que se veste bem. Acho até que pijama é sempre a melhor opção. Mas a idéia de vestir a pata de um bode não me agrada exatamente. Não estou aqui para julgar, rs, tanto que se eu fosse julgar alguma coisa, eu seria rica, mas enfim, cara, sério, sério MESMO, que alguém usa uma bota com que se chama pata de bode?

– ya.

Que desgosto.

Look at this fucking CHINELO CONFORTÁVEL. Não, não tem nome para esta coisa. É só ~CHINELO CONFORTÁVEL~. Quando eu vi isso no pé de uma menina na 8ª série, achei que ela tivesse machucado o pé, porque… bom, você só vai para a escola de chinelo se você tivesse alguma doença de pé nojenta, ou tivesse machucado mesmo, né. Mas aí eu tava ouvindo uma conversa aleatória e lá, lá, lá… aí a menina:

-ai, é que é super confortável!

Cara. Não, você não pode se sentir confortável na escola. Ou na rua. Não, não pode. A mãe dessa menina deveria ter falado que esse chinelo com meia aumenta a bunda dela umas 150 vezes, sabe por quê? Porque não pode usar coisas feias e confortáveis que me fazem perder a esperança de um futuro melhor para os haitianos. Ou qualquer outra pessoa que não goste de ver seu pé feio e cheio de micose com uma meia branca/fétida por cima, e um chinelo feito resto de banha de baleia rançosa pra completar a masterpiece.

Look at this fucking CROCS.

Tá, achei isso no internet sobre os crocs:

Bonitos ou feios? Cara de crocodilo ou falta de design? Sem dúvida, chamativos! Sem dúvida nenhuma, confortáveis! Acreditem, eles são até duráveis. Essas eram as características básicas das sandálias Crocs que era o feio bonitinho cheio de tendência da moda e de muita rentabilidade para os seus criadores.

O que eu acho sobre tudo isso: